Nossa chegada em Paraty

Nossa principal dúvida ao chegar em Paraty, era por onde começar, afinal o Programa Vem Pra Rua – Gastronomia e Cultura estava novamente na Estrada e isso pra nós era incrivelmente desafiador. Encontramos muitos lugares Culturais fechados e isso nos frustrou de início mas nos fez começar a olhar essa linda cidade de outra forma. Focamos literalmente na nossa vivência junto ao Trailer e isso ajudou muito, pois colocamos os pés literalmente no chão. Era como se aqui fosse nosso primeiro programa e deixamos as coisas acontecerem literalmente. O luiz já havia visitado Paraty com os pais e também em um momento, do qual foi acolhido por uma família muito especial.

Luiz Vidal – Espaço Índio Tupi – Trindade

A biodiversidade mesclada com as marcas esculpidas nas ruas e paredes, fizeram com que a gente voltasse no tempo. A energia do lugar é incrível e era exatamente isso que procurávamos. Paz, manifestações culturais que já estão impregnadas em todo lugar, todo conjunto histórico ali preservado nos fizeram engolir muita informação e conhecimento. Paraty tem um clima maravilhoso, pelo menos nos dias em que ficamos ali, dava sol de manhã e chovia no meio da tarde, ajudou muito a refrescar. Fora que como vizinhos no Camping CCB na praia do Pontal o nosso grande amigo da Macamp, Marcos Pivari e sua família nos recepcionou e nos deu todo suporte possível.

Paraty por Luiz Vidal

Nossa casa ( Trailer ) ficou acomodada no Camping e assim podíamos ir aonde queríamos. Fomos conhecer Trindade, que fica bem perto e suas praias nos fizeram ficar imaginando o que já havia sido vivido ali, com suas ruas tranquilas de casas modestas e uma gastronomia sem palavras, tanto no preço quanto no sabor, já nos deixaram com vontade de voltar mais vezes. Paraty é Brasil, é tudo aquilo que a mídia mostra e mais um pouco. Por ser Patrimônio Mundial da Unesco, é muito procurada por turistas, mas acho que quem mora ali é que usufrui da cidade de verdade. Conhecemos muita gente, várias histórias. Lógico que, o passado e o presente se fundem e teremos muito assunto para falar de Paraty, é inesgotável.

Fomos á Trindade e deixamos o carro em um dos estacionamentos, e para nós tudo vira história. Se deixar, ficamos horas conversando com as pessoas e deixamos de fazer nossas gravações. As lembranças dessa linda cidade para nós serão como as árvores. “Uma hora são verdes e firmes, agarradas aos galhos e nem mesmo um vento forte consegue arranca-las. “

Se você quer conhecer um pouco mais sobres esses lugares maravilhosos, não deixe de acompanhar o nosso canal no YouTube. Com certeza você irá entender o que estamos sentindo. Corre lá, se inscreva, ative as notificações e não deixe de compartilhar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: